GLEG - Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás

Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás
Gênesis Nº 10
Sob os Auspícios da Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás
Fundada em 06/12/1948 e Instalada em 06/12/1948
A Maçonaria

A Maçonaria pode ser dividida em três períodos: o Antigo ou Lendário, o Medieval ou Operativo e o Moderno ou Especulativo. Segundo alguns historiadores, do período Antigo ou Lendário não se tem conhecimento sobre a sua origem. Alcança mais ou menos o século V a.C. com a construção do Templo do Rei Salomão. O Medieval ou Operativo teria nascido do trabalho dos Construtores das Grandes Catedrais Medievais, cuja organização deu origem às Associações de Pedreiros Livres ou Franco-Maçons, cuja importância se desenvolveu entre os séculos XII e XIV. O período Moderno ou Especulativo teria originado, segundo alguns autores, na Escócia, para onde diversos membros Templários teriam fugidos da Inquisição que lhes impunham a Igreja Católica.

As Lojas de Maçons Operativos recebiam progressivamente membros que não pertenciam ao ofício da construção, que era composto por membros da nobreza, burguesia e clero, os chamados Maçons Aceitos.

A Maçonaria como conhecemos hoje, segundo o Dicionário da Maçonaria, de Joaquim Gervásio de Figueiredo, no verbete Franco-Maçonaria, foi fundada em 24 de junho de 1717, em Londres. A sua origem está ligada às Lendas de Isis e Osíris, Egito, ao culto a Mitra, vindo até a Ordem dos Templários e a Fraternidade Rosa Cruz.

É uma Instituição de caráter universal, cujos membros cultivam a filantropia, justiça social, os princípios de liberdade, democracia e equidade, aperfeiçoamento intelectual e fraternidade; é assim uma associação iniciática, filosófica, filantrópica e educativa. É constituída por homens de todas as raças, crenças e nacionalidades. É fundada no amor fraternal e na esperança de que, com amor a Deus, à Pátria, à família e ao próximo, com tolerância e sabedoria, com a constante e livre investigação da verdade, com a evolução do conhecimento humano pela filosofia, ciências e artes, sob a tríade da Liberdade, Igualdade e Fraternidade e dentro dos princípios da Moral da Razão e da Justiça, o mundo alcance a Felicidade geral e a Paz Universal.

Desse enunciado pode se deduzir que a Maçonaria:

•   Proclama desde sua origem a existência de um Princípio Criador, ao qual, em respeito a todas as religiões, denomina Grande Arquiteto do Universo, que é Deus;
•   Não impõe limites à investigação da verdade, e para garantir essa Liberdade, exige de todos a maior tolerância;
•   É acessível aos homens de todas as raças, classes e crenças, quer religiosas, quer políticas, excetuando as que privem o homem da liberdade de consciência e da manifestação do pensamento, restrinjam os direitos e a dignidade da pessoa humana e exijam submissão incondicional;
•   Proíbe em seus Templos discussão político-partidária e religiosa sectária;além de combater a ignorância em todas as suas modalidades, constitui-se numa escola, impondo-se o seguinte programa: obedecer as leis democráticas do país; viver segundo os ditames da honra; praticar a justiça; amar o próximo; trabalhar pelo progresso do homem;
•   Adota o Livro da Lei, o Esquadro e o Compasso, considerados como suas três Luzes emblemáticas que deverão estar sobre o Altar dos Juramentos.

Proclama os seguintes princípios:

•   Amar a Deus, a Pátria, a família e a humanidade;
•   Praticar a beneficência de modo discreto, sem humilhar;
•   Praticar a solidariedade maçônica, nas coisas justas, fortalecendo os laços de fraternidade;
•   Defender os direitos e as garantias individuais;
•   Considerar o trabalho lícito e digno como dever de homem;
•   Exigir de seus membros boa reputação moral, cívica e familiar, pugnando pelo aperfeiçoamento dos costumes;
•   Exigir tolerância para com toda forma de manifestação de consciência, de religião ou de filosofia, onde os objetivos sejam os de conquistar a verdade, a moral, a paz e o bem social;
•   Lutar pelo princípio da equidade, dando a cada um o que for justo, de acordo com sua capacidade;
•   Combater o fanatismo, as paixões, o obscurantismo e os vícios;
•   Os ensinamentos maçônicos orientam seus membros a se dedicar à felicidade de seus semelhantes, não só porque a razão e a moral lhes impõem tal obrigação, mas também porque esse sentimento de solidariedade os faz irmãos.

Reflexões

“A maçonaria é a Entidade mais sublime que conheci, por ser uma Instituição fraternal onde o profano ingressa para doar, sem pretensões de lucros materiais, procurando meios de fazer o bem, exercendo a beneficência”.
Voltaire.

“Só podem ser maçons, os que crêem em Deus Infinito, os que reconhecem a necessidade de um culto e os que têm uma Pátria, cujos direitos e leis devem respeitar”.
Pe. Francisco João de Deus.

“Os fins da Maçonaria em nada são opostos aos dogmas da religião de Jesus Cristo. A moral é toda santa e o Divino Mestre foi o mais fiel de seus adeptos”.
Pe. Manuel Bernardes.

“Filha da ciência e mãe da caridade, (...) fossem todas as sociedades como tu, oh! Santa Maçonaria e os povos viveriam eternamente idade de ouro“.
Cônego Januário da Cunha Barbosa.

Bibliografia

Síntese de textos extraídos na Internet;
Textos Maçônicos, Loja Jacques De Molay Nº 17 / GLMB, Vol. 1/2002.

Autor

Eduino Alves de Araújo (6354)
Estrela de Goiás Nº 49
Grande Loja Maçônica do Estado de Goiás

Endereço: Rua J 52 • Nº 550 • QD. 142, LT. 21 • Setor Jaó • Goiânia / Goiás (GO) • Brasil (BR) • CEP: 74674-180 • Telefone: (62) 3207-1020 • E-mail: gleg@gleg.com.br • Web: www.gleg.com.br
Visualize no Google Maps
GLEG Enterprise • Versão 1.3.5 em 01/09/2021 • Copyright © 2019, 2020, 2021 LiveERP • Todos os direitos reservados